O dia D na Cidade da Benção do Ceará




O Dia D já pode ser considerado o maior evento da história Fortaleza, que por sinal não possui um lugar com capacidade para um evento deste porte. Segundo o Corpo de bombeiros estavam ali mais de 350 mil pessoas e uma frota de mais de 2,6 mil ônibus, além de Vans e carros particulares. Foi necessário mobilizar o povo cearense para o município de Eusébio, a 18 km da capital. O Autódromo Internacional Virgílio Távora foi o único com estrutura suficiente para um evento deste porte. O local nunca foi utilizado para um evento como este, e o seu maior publico foi de 26 mil pessoas, em 2006. O público superou até o número de habitantes, cerca de 40 mil pessoas. O local passou a ser chamado pelos organizadores de A Cidade da Benção.

Caravanas de várias localidades estavam presentes, como a de Viçosa, a 349 Km da capital. A dona de casa, Cristina Félix, de 33 anos, deixou os três filhos com o pai para fazer a viagem. “Nós enfrentamos mais de 7 horas de viagem para estar aqui. Saímos de lá a meia noite e fomos os primeiros a chegar, apenas no objetivo de alcançar a mudança de nossas vidas”, disse.

A dona de casa Rosa Aguiar, de 73 anos, também veio nesta fé: “Este é um sacrifício mínimo, já que Deus já fez vários milagres em minha vida. Eu fui desenganada pelos médicos, que disseram que eu não poderia mais andar, pois meus ossos estavam podres pela osteoporose. Fui curada e hoje vim receber mais um milagre”, enfatiza.

José Dantas, de 24 anos, é padre da igreja Católica Carismática da Diocese do Ceará. Ele fez questão de participar da festa e trouxe uma caravana de três ônibus do bairro de Messejana, próximo ao Eusébio. “A igreja Universal está de parabéns por este evento, nunca vi nada igual. É muito lindo ver esta multidão falando uma só língua, a língua da paz e da justiça, e sem discriminação.”

Os organizadores contaram com o apoio da prefeitura de Euzébio, Companhia de Policiamento Rodoviário e Federal e Estadual, da Autarquia Municipal de Trânsito de Fortaleza, o Detran. Estavam à disposição sete ambulâncias, com quatro médicos e 20 enfermeiros, além de um helicóptero para fazer a ronda aérea.
Estiveram presentes os cantores Gisele Nascimento, Davi Saccer, do Trazendo a Arca, e Edilson Maia. Um dos momentos mais esperados foi a oração pela paz, em que os participantes levantaram lenços brancos, simbolizando o desejo pela transformação da família. O bispo Francisco Decothé falou a respeito da ressurreição de Cristo, citando a passagem bíblica de Lucas 24, e que o mesmo iria acontecer na vida daqueles que agirem a fé. “Infelizmente, os índices de violência no Ceará estão crescendo a cada dia, mas O Senhor Jesus nos dará a paz que precisamos ”, enfatizou.

O Dia D ficou marcado principalmente na vida daqueles que conquistaram a tão sonhada cura, como o aposentado Luís Carlos Vieira, de 75 anos, que não ouvia havia mais de 20 anos. Antonia Cavalcante, de 78 anos, havia mais de 3 anos não enxergava e não andava, devido a um Acidente Vascular Cerebral (AVC). Mais de 50 paralíticos foram curados neste dia.

Um comentário:

  1. EU QUERIA TER IDO, MAS ESTAVA VIAJANDO...

    EVERTON RODRIGUES.

    ResponderExcluir